Notícias

Projeto de Lei criado por Kaio Maniçoba é alvo de protestos em Serra Talhada, PE

Estudantes da Unidade Acadêmica de Serra Talhada (Uast) fizeram um protesto na manhã desta quinta-feira (13) contra um Projeto de Lei criado pelo deputado federal Kaio Maniçoba. A polêmica gira em torno da emancipação da unidade acadêmica, que passaria a ter status de Universidade Federal do Sertão, com políticas de gestão e recursos próprios. No entanto, o projeto 5173/2016 sequer foi discutido com a comunidade acadêmica.
protesto contra kaio manicoba em serra talhada-pe (4)
Grupo de manifestantes também é contra a PEC 241. Foto: Reprodução
 
As aulas na Uast foram suspensas até o fim do dia devido o protesto. O manifesto pacífico acontece na estrada que liga Serra Talhada à Avenida Gregório Ferraz.
 
Sem diálogo com o corpo acadêmico, a ação dos políticos vem sendo encarada com grande desconfiança pela maioria de professores, diretores e alunos. Desde então, várias assembleias estão acontecendo na Unidade Acadêmica de Serra Talhada visando discutir o tema. O PL tramita na Câmara dos Deputados desde maio deste ano. Os alunos alegam que o projeto pode gerar um sucateamento da universidade. 
protesto contra kaio manicoba em serra talhada-pe (2)
Protesto começou pela manhã e seguirá até às 18h. Foto: Reprodução
 
A continuidade e garantia do transporte universitário gratuito, além da não aprovação da PEC 241, também são reivindicações do grupo de estudantes. A previsão é que a rodovia fique bloqueada até às 18h.

A estudante Rafaela Cruz é uma das representantes do grupo e publicou a seguinte nota de esclarecimento:

Há alguns dias, nós da Universidade Federal Rural de Pernambuco – Unidade Acadêmica de Serra Talhada, fomos surpreendidos pela informação que está correndo um projeto de lei pela emancipação da nossa unidade com a finalidade de torná-la uma universidade autônoma. A universidade federal do sertão. Vejam, fomos surpreendidos por um projeto de lei que nos afetaria de forma tão grave sem que ao menos estivéssemos cientes da discussão. Esse projeto, redigido pelo Deputado Kaio Maniçoba, que eu particularmente nunca vi por aqui, conheço seu nome pelo fato de ter sido um dos parlamentares pernambucanos a votar a favor do impeachment. O projeto, inclusive, consta apenas com umas três páginas dizendo que Serra Talhada é grande e merece ter uma universidade e não há nenhum estudo de viabilidade, nenhum plano orçamentário, nenhuma proposta de expansão do número de cursos ou de planejamento para aumentar a produção de pesquisa extensão. É interessante que agora, meses depois dessa PL ter começado a tramitar, que tive acesso a um blog de notícias que em maio dizia que o deputado Kaio Maniçoba iria presentear Serra Talhada com um projeto de Criação da Universidade Federal do Sertão. A questão é que nossa universidade já existe! Sim, ela é uma unidade da UFRPE, ela é parte dessa universidade e já está aqui há 10 anos. Nós sabemos que um dos maiores índices de comparação entre o governo de FHC e os do PT foi o fato de que, durante o mandato de FHC nenhuma nova universidade federal fora criada, enquanto no governo de Lula e Dilma uma série de novas universidades, campi e unidades foram abertos. Agora, esse governo golpista pretende ao renomear as unidades já existentes contabilizá-las como novas universidades criadas por ele. Amigos, se fosse apenas esse problema, seria problema besta, pois a gente já está acostumado com isso. Por exemplo, em Recife a maior obra de Geraldo Júlio foi gastar dinheiro com tinta azul para pintar todas as obras que originalmente eram vermelhas e reinaugurá-las todas. A questão é que como será essa universidade, como ela se sustentará se houve um corte de 45% nos orçamentos da federais? Como é que novas universidades serão criadas se as que já existem estão escutando não após não quando solicitam verba para realização de evento, para políticas de permanência de alunos, para abertura de código de vagas para contratação de professores, para bolsas de pesquisa etc. Parece claro para mim o caminho que isso pode tomar: um acelerado sucateamento que nos levará direto para o abismo da privatização. “Olha, nós criamos novas universidades, mas elas foram incompetentes e não deram certo, precisamos vendê-las para que não fechem”. Estamos, no meio de pernambuco, uma localização geográfica que facilita um isolamento. A quem interessa esse desmembramento? A quem interessa que não sejamos mais parte de uma grande e forte universidade, mas apenas uma pequena universidade no topo de uma Serra? Estejamos atentos. Resistiremos.

#nãoaPL5173
#XôMedonça
#ForaTemer

Fonte: Blog do Elvis/NE10

Artigos relacionados

Escreva um comentário