Notícias

Filho de advogado que denunciou ataque ao escritório do pai em Mirandiba é indiciado por falsa comunicação

A Polícia Civil concluiu na última quinta-feira, 9, o inquérito sobre um suposto ataque a um escritório de advocacia de Mirandiba em maio deste ano. O documento foi enviado ao Ministério Público de Pernambuco (MPPE) com o indiciamento do filho do advogado, pelas práticas de falsa comunicação de crime/contravenção e fraude processual.

Matéria relacionada: Advogado tem escritório atingido por tiros em Mirandiba, no Sertão de Pernambuco

No dia 18 de maio, a polícia foi informada que dois homens em uma moto haviam efetuado disparos de arma de fogo contra o escritório de um advogado, natural de Serra Talhada, e que o filho dele tinha sofrido lesões decorrentes de estilhaços de vidro.

Os policiais da delegacia local acionaram os peritos do Instituto de Criminalística de Salgueiro, que foram ao local e constataram que até então vítima tinha dado declarações falsas. Segundo a polícia, a falsa comunicação foi comprovada mediante laudo pericial, fazendo o filho do advogado passar a ser suspeito no dia 26 de junho.

Após a análise de depoimentos de testemunhas, indícios documentais, acareação, laudo pericial, declarações do suspeito e áudio da central do 8° BPM relatando o fato ao pelotão local, os peritos concluíram pela impossibilidade técnica de ter havido disparos e avaliaram que a cena do crime havia sido alterado intencionamente.

Ainda segundo a polícia, o próprio advogado não acredita atualmente que houve atentado. O delegado se baseou principalmente na prova técnica produzida pela perícia, que verificou uma tentativa de prejudicar os trabalhos da Polícia Civil e da Polícia Científica. Agora cabe ao Ministério Público optar pela denúncia do suspeito, requisitar novas diligências ou arquivar o caso.

Via Blog Alvinho Patriota

Etiquetas

Elvis Lima

Jornalista, blogueiro, apaixonado pelo sertão nordestino.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *