Tribunal nega recurso de defesa de Lula e bens continuam bloqueados

O pedido da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, referente à anulação do bloqueio de bens do petista, foi negado nesta terça-feira (25) pelo desembargador João Pedro Gebran Neto, relator de processos envolvendo acusados na Operação Lava Jato.

Na última quinta-feira (20), um mandato de segurança emitido pelo juiz Sérgio Moro, autorizou o bloqueio de bens do ex-presidente Lula . A decisão envolveu bloqueio de R$ 600 mil de contas bancárias do petista e cerca de R$ 9 milhões, que estavam depositados em dois planos de previdência privada.

Na decisão do bloqueio foi afirmado que o a medida era para garantir reparação dos danos recorrentes dos crimes cometidos pelo ex-presidente . O petista foi condenado a nove anos e seis meses de prisão.  Além do dinheiro das contas bancárias e a previdência privada, o petista teve o sequestro e arresto de dois carros, três apartamentos e um terreno localizado em São Bernardo do Campo, na grande São Paulo.

Em nota de esclarecimento, enviada por um dos advogados do ex-presidente, Cristiano Zanin Martins, foi afirmado que não houve análise do mérito do mandado de segurança e que o mesmo será apreciado pela turma do TRF-4. “O próprio relator reconheceu que há “argumentos ponderáveis sobre (in)validade da decisão de primeiro grau”. Luiz Inácio Lula da Silva não recebe nenhuma aposentadoria por ter sido presidente da República por dois mandatos”, afirmava a nota.

Via Último Segundo

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *