Notícias

São José do Belmonte terá o maior projeto de usina solar da América Latina

A CPRH (Agência Estadual de Meio Ambiente) apresentou na tarde desta quinta-feira (06), a empresa Solátio Energia que vai implantar dois projetos de usinas de energia solar em São José do Belmonte. O evento aconteceu na Casa das Juventudes Vanessa Vieira Vasconcelos.

A espanhola Solátio foi representada pelo português Pedro Fonseca, que falou sobre a empresa, deu alguns detalhes sobre o projeto e tirou dúvidas da população. “A nossa empresa já possui um projeto de usina fotovoltaica em operação no Brasil. Ela fica em Pirapora-MG e é a maior usina solar da América Latina”, disse Pedro.

O projeto de Pirapora foi construído em 800 hectares de terra e custou cerca de 2 bilhões de reais. Entrou em operação este ano e gera 400 mV, tendo capacidade para fornecer energia para 420.000 casas durante um ano.

O projeto de São José do Belmonte será maior do que Pirapora. Vai ser construído em 2.282 hectares de terra e vai gerar 1 gV de potência com capacidade para fornecer energia elétrica para 670.000 residências. O projeto já está em fase de licenciamento, dependendo agora somente dos órgãos competentes.

“Dando tudo certo, vamos gerar de 500 a 1000 empregos diretos, além dos indiretos. Dentro disso, 30 a 40% serão empregos locais, o restante será mão de obra especializada”, disse o português.

O geólogo Gustavo Vilela é o responsável técnico pela elaboração do projeto ambiental das usinas e falou sobre os impactos gerados pela obra.

“O projeto da Solátio é de baixo impacto ambiental, o que for desmatado será recompensado, assim como manda a lei. E além de não gerar resíduos sólidos, as placas solares não geram poluentes. E caso precisem ser trocadas, serão transportadas pela logística reversa de volta para o seu fabricante”, disse.

“A Energia fotovoltaica é limpa, é uma energia verde. O município terá mais ganho do que perda”, completou.

Para o prefeito Romonilson Mariano, o projeto é importante e vai melhorar muito o nosso município. “Além de gerar emprego e renda vamos arrecadar mais ISS para o cofre público. A porta está aberta para este tipo de empreendimento, que traz progresso para nossa gente e não traga nenhum tipo de prejuízo para o município”, disse.

O presidente da Câmara de Vereadores, Kayson Pires, falou da expectativa que a obra está gerando. “Criou-se uma grande expectativa sobre a construção da usina solar no município. Tanto da sociedade, pela geração de empregos e renda, quanto dos empresários pelo aumento das vendas sucessivamente. É um projeto de grande importância para todos. Estamos de portas para recebê-lo”, disse.

Complexo Fotovoltaico de São José do Belmonte

A instalação das usinas de energia solar em São José do Belmonte será executada em dois complexos, além da construção de  três subestações e duas linhas de transmissão, uma com 25km e outra com 15km, confira:

Complexo Fotovoltaico Belmonte

O projeto 1 vai gerar 438 mV, será composto por cerca 1,5 milhão de painéis solares em 1.280 hectares, impactando cerca de 40 propriedades rurais. Este projeto terá quatro usinas independentes: Belmonte 1 – Belmonte 2 – Brígida e Brígida 2.

Complexo Fotovoltaico Bom Nome 1

O projeto 2 vai gerar 354 mV, será composto por cerca 1,28 milhão de painéis solares em 1.002 hectares, impactando cerca de 15 propriedades rurais. Este terá três usinas independentes: Bom Nome 1, Nova Brígida, Nova Brígida 2.

Via Prefeitura de São José do Belmonte

Etiquetas

Elvis Lima

Jornalista, blogueiro, apaixonado pelo sertão nordestino.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *