Notícias

Recife anuncia recuperação do Parque das Esculturas e aguarda projeto de artista que trabalhou com Brennand

Investimento de R$ 6 milhões é destinado à recuperação de obras de arte e estrutura física. Anúncio da prefeitura ocorreu nesta quarta-feira (3), um dia após a prisão de cinco suspeitos de roubar obras do local.

Um dia após a prisão de cinco suspeitos do roubo de obras de arte do Parque das Esculturas, no Centro do Recife, a prefeitura anunciou que aguarda o projeto do artista Jobson Figueiredo para começar a revitalizar o local. Além do investimento de R$ 6 milhões para recuperar obras de arte e estrutura física, são avaliadas parcerias com a iniciativa privada para garantir a segurança do ponto turístico.

“Falamos ainda hoje [quarta-feira, dia 3], novamente, com o artista Jobson Figueiredo e ele pediu mais 15 dias para finalizar o projeto da recuperação das obras, que ele fez, inclusive, com Francisco Brennand. Após o recebimento do projeto, a prefeitura vai fazer o modelo de contratação”, afirmou o prefeito João Campos (PSB).

Ainda de acordo com o gestor municipal, além do investimento de R$ 5 milhões para as obras de arte, a estrutura física do espaço também vai ser recuperada.

“Para além da recuperação das obras, vai ter mais R$ 1 milhão de investimento na estrutura física, do píer, da guarita. Vamos fazer um desenho para reutilizar a ocupação desse espaço, que é tão valioso para todos nós”, disse.

O total de investimentos para o Parque das Esculturas, segundo Campos, vem de emendas parlamentares para viabilizar o projeto de recuperação do espaço.

Segurança

Além da necessidade de reforma do local, a segurança também é discutida pela prefeitura e pelo Porto do Recife. “Nós estamos numa tratativa final com o Porto do Recife para poder discutir o modelo de segurança da área”, contou o prefeito.

Em janeiro de 2021, via Lei de Acesso à Informação, o G1 obteve uma resposta da prefeitura sobre o período de atuação da Guarda Municipal no local. Diariamente, são 35 minutos, efetivamente, de segurança ao patrimônio.

Segundo o documento enviado, as rondas acontecem das 10h30 às 10h50. Das 11h às 12h, os profissionais pausam o trabalho para almoçar dentro dos limites da área de atuação. Depois de circular por outros locais, o efetivo volta ao parque para rondas das 17h25 às 17h40.

Segundo Campos, a prefeitura estuda um modelo de segurança 24 horas. “A segurança e o projeto estão sendo discutidos entre a prefeitura e o Porto do Recife. O projeto desenhado tem um custo de R$ 800 mil por ano e vai ser operacionalizado a partir do momento em que começar o restauro daquele importante patrimônio da nossa cidade”, declarou.

Via G1 Pernambuco

Artigos relacionados

Escreva um comentário