Notícias

Prefeitura de Ibimirim emite nota após denúncias do SINDUPROM-PE

A Prefeitura Municipal de Ibimirim, no Sertão de Pernambuco, emitiu uma nota de esclarecimento na tarde desta sexta-feira (14) a respeito de denúncias feitas pelo coordenador geral do SINDUPROM-PE. O posicionamento veio à tona após várias publicações na mídia local e regional.

Leia abaixo o texto na íntegra:

Através da presente nota de esclarecimento, vimos externar a nossa indignação com informações infundadas e de pura maldade, enviadas e publicadas em diversos meios de comunicação do Estado. As matérias publicadas por um individuo conhecido por Josenildo Vieira de Melo, o qual se intitula de Professor e Coordenador Geral do SINDUPROM-PE, vem trazendo prejuízos irreparáveis para a comunidade de Ibimirim.

Ressaltamos que a pessoa do senhor Josenildo Vieira de Melo vem inflamando alguns profissionais da Educação para invadir a Prefeitura Municipal, bem como, promovendo arruaças com veículos de som nas ruas da cidade, além de vir não se sabe de onde para agredir verbalmente o senhor Prefeito José Adauto da Silva, a sua equipe, entre os quais professores e os familiares.

É de se considerar que a democracia é um principio basilar no País e os atos a livre manifestação são permitidos desde que não seja com conotação a violência, o que desde o inicio o senhor Josenildo Vieira de Melo vem fazendo. Felizmente Ibimirim é uma cidade de pessoas ordeiras e de bem, que tem respeito umas com as outras, o que nos faz receber qualquer cidadão de braços abertos, porém, a chegada deste senhor e as suas manifestações tem ofendido a comunidade, que sabem do compromisso da gestão municipal com a classe, mesmo em tempos de dificuldades financeiras.

O nosso repúdio não é para se referir tão somente a este senhor que se diz Professor, mas também, para que as pessoas que publicam cópias das notas e/ou informações do senhor Josenildo Vieira de Melo, dizendo representar o SINDUPROM-PE, convidamos que venham à Ibimirim ver a nossa realidade com relação a atual situação da educação, as escolas reformadas, ampliadas e construída, as novas quadras de esportes, Creche, enfim, situações constatadas apenas in loco, estando externado o convite.

Vale destacar que o SINDUPROM-PE representado pelo Sr. Josenildo Vieira de Melo, não está apto a representar nenhum professor da rede municipal de Ibimirim/PE ou de qualquer outro município de Pernambuco, pois este sindicato está sem o registro no Ministério do Trabalho e Emprego, conforme publicação do DOU datada de 08 de abril de 2016. Portanto o professores da rede municipal de Ibimirim/PE, foram enganados por este Sr. Josenildo Vieira de Melo, uma vez que o SINDUPROM-PE é CLANDESTINO. 

Quanto as reinvidicações de alguns professores, é importante que as pessoas que divulgam as informações deste “Sindicato”, saibam que a equipe da Prefeitura, entre as quais a Secretária de Educação Cláudia Domingos vem buscando uma solução pacífica e adequada, tanto para a administração quanto para a classe dos professores. Contudo os representantes da classe se recusam a escutar e compreender as razões da administração pública, o que inviabiliza qualquer negociação.

Por tudo isso, cabe à gestão municipal o dever de observar e cumprir os princípios constitucionais da legalidade, imparcialidade, moralidade, publicidade e eficiência, com o objetivo da promoção a igualdade entre todos.

De logo, a Administração Municipal informa que não ira abrir qualquer tipo de negociação com a ASSOCIAÇÃO DE CLASSE SINDUPROM-PE diante da sua ausência de legitimidade para representar a Classe dos Professores Municipais de Ibimirim, muito menos encabeçar qualquer tipo de movimentação e manifestação pública em nome destes profissionais, enquanto perdurar a sua irregularidade junto aos órgãos competentes.

Através da presente nota de esclarecimento, vimos externar a nossa indignação com informações infundadas e de pura maldade, enviadas e publicadas em diversos meios de comunicação do Estado. As matérias publicadas por um individuo conhecido por Josenildo Vieira de Melo, o qual se intitula de Professor e Coordenador Geral do SINDUPROM-PE, vem trazendo prejuízos irreparáveis para a comunidade de Ibimirim.
Ressaltamos que a pessoa do senhor Josenildo Vieira de Melo vem inflamando alguns profissionais da Educação para invadir a Prefeitura Municipal, bem como, promovendo arruaças com veículos de som nas ruas da cidade, além de vir não se sabe de onde para agredir verbalmente o senhor Prefeito José Adauto da Silva, a sua equipe, entre os quais professores e os familiares.
É de se considerar que a democracia é um principio basilar no País e os atos a livre manifestação são permitidos desde que não seja com conotação a violência, o que desde o inicio o senhor Josenildo Vieira de Melo vem fazendo. Felizmente Ibimirim é uma cidade de pessoas ordeiras e de bem, que tem respeito umas com as outras, o que nos faz receber qualquer cidadão de braços abertos, porém, a chegada deste senhor e as suas manifestações tem ofendido a comunidade, que sabem do compromisso da gestão municipal com a classe, mesmo em tempos de dificuldades financeiras.
O nosso repúdio não é para se referir tão somente a este senhor que se diz Professor, mas também, para que as pessoas que publicam cópias das notas e/ou informações do senhor Josenildo Vieira de Melo, dizendo representar o SINDUPROM-PE, convidamos que venham à Ibimirim ver a nossa realidade com relação a atual situação da educação, as escolas reformadas, ampliadas e construída, as novas quadras de esportes, Creche, enfim, situações constatadas apenas in loco, estando externado o convite.
Vale destacar que o SINDUPROM-PE representado pelo Sr. Josenildo Vieira de Melo, não está apto a representar nenhum professor da rede municipal de Ibimirim/PE ou de qualquer outro município de Pernambuco, pois este sindicato está sem o registro no Ministério do Trabalho e Emprego, conforme publicação do DOU datada de 08 de abril de 2016. Portanto o professores da rede municipal de Ibimirim/PE, foram enganados por este Sr. Josenildo Vieira de Melo, uma vez que o SINDUPROM-PE é CLANDESTINO. 
Quanto as reinvidicações de alguns professores, é importante que as pessoas que divulgam as informações deste “Sindicato”, saibam que a equipe da Prefeitura, entre as quais a Secretária de Educação Cláudia Domingos vem buscando uma solução pacífica e adequada, tanto para a administração quanto para a classe dos professores. Contudo os representantes da classe se recusam a escutar e compreender as razões da administração pública, o que inviabiliza qualquer negociação.
Por tudo isso, cabe à gestão municipal o dever de observar e cumprir os princípios constitucionais da legalidade, imparcialidade, moralidade, publicidade e eficiência, com o objetivo da promoção a igualdade entre todos.
De logo, a Administração Municipal informa que não ira abrir qualquer tipo de negociação com a ASSOCIAÇÃO DE CLASSE SINDUPROM-PE diante da sua ausência de legitimidade para representar a Classe dos Professores Municipais de Ibimirim, muito menos encabeçar qualquer tipo de movimentação e manifestação pública em nome destes profissionais, enquanto perdurar a sua irregularidade junto aos órgãos competentes.

Artigos relacionados

9 Comentários

  1. Essa é a conversa. Quem vem acompanhando as chamadas negociações as quais a administração se refere, sabe muito bem que o que eles chamam de negociação nada mais é do que impor “solução” e dizer, ou é isso ou não é nada. Quanto as reclamações feitas ao senhor Josenildo, não me cabe entrar no mérito. Sabe-se que essa gestão é sepulcros caiados. Quem não paciência para diálogos não deveria enveredar-se pelos caminhos da politica. Os defensores dos “bons costumes e da honra do senhor prefeito” se equivocam muito.

  2. Então o Sr. João Gilberto reconhece que há negociação e que ela são entendidas da forma como o sindicato quer entender. A administração já mostrou provas suficientes para uma chegar-se a uma acordo, a uma aceitação, que seja. Mas já esta mais que notorio que agora essa questão passou a ser politica, e como esta surtindo efeito irá render ate quando os interessados quiserem, os professores, podres coitados, marionetes de um sindicato falso, digo, aqueles que ainda não fazem parte do jogo politico em questão.

    1. Minha cara Amanda. O fato de imporem uma condição que não é favorável à categoria, não significa que é negociação. Não há conversa quando só o lado do governo quer ditar as regras. Isso ficou muito claro nessas últimas semanas. Quando não “chamam” a policia para os professores, simplesmente ameaçam e chamam pra acerto de contas. Isso está longe da legalidade. infelizmente tudo que é contra uma gestão chamam de politicagem. Não se pode pensar contrário que já taxam de ataque politico. Isso vai muito além.

  3. João Gilberto, não houve imposição, houve ESCLARECIMENTO financeiro da situação atual. Em nenhum momento durante as negociações, às quais você “desconhece”, foi imposto nada, ao contrário, foi apresentado medidas que não foram aceitas pela classe, entretanto, seus representante ali presentes também não direcionaram nenhuma solução. Ora, fica fácil falar que algo é imposto quando a classe reinvindicadora não tem a mínima ideia de como pode ser resolvido o problema e espera apenas que a administração “se vire”. João Gilberto, se você for de Ibimirim aconselho que participe das negoviações para que sua argumentação sejam fundadas na verdade. Ah só esclarecendo um ponto, não é falta de vontade de pagar o que os professores merecem, é falta de recurso suficiente para suprir a despesa com a folha, se ta difícil agora, imagina quando entrar as gratificações dos ultimos concursados. Não precisa ser mestre em contabilidade pra saber que 800 mil não paganenhum 1 milhão. Adianto que o pseudo-sindicato deveria aprender administrar e não fazer politicagem.

    1. Acredito na boa vontade de alguns da administração, porém,tem os que agem de má fé. Vejo exemplos escancarados. com respeito a questão de gratificações, isso é coisa pra se discutir na questão de ajuste do PCC. Tem também a questão de contratos desnecessários que só oneram a folha de pagamento. Quanto a minha participação nas negociações, eu estou bem próximo delas. Meu caro “Van”. dá pra ver que você entende de administração, o problema não está nas reivindicações dos professores e sim na maneira que estão se seguindo as negociações. tratar isso como politicagem é um erro, muitos professores nem votam aqui. isso é injusto. Alteração de ânimos não levará ninguém a lugar algum. Paz e bem.

  4. João,
    Acredito que há interesses políticos em ambas as partes, sem dúvidas. Quanto ao TCC, sendo este o marco na vida de qualquer profissional, consequentemente, a ideia de alteração gera desconforto e muitas discussões acaloradas, entretanto, é injustificável que diante da conjuntura financeira atual do país ocasionando queda de FPM e arrecadações ainda não se admita a necessidade de avaliação do TCC. Outro ponto negativo são os êxodos rurais e as migrações de indivíduos para capitais provocadas pelo desemprego e a seca, a tendência é redução da clientela discente em alguns anos, basta apenas observar o censo escolar, sendo assim, o repasse de recursos ao município também é reduzido, Ibimirim é um município carente de oportunidades empregatícias e de geração de renda, não temos um grande comércio para geração desmesurável de impostos, a economia ibimiriense é movida pela maior empresa empregatícia que é a prefeitura, se essa não conseguir pagar os seus servidores, esses por sinal, também darão calotes aos seus credores o que pode provocar uma grande crise econômica no município, pois muitos pequenos comércios não tem um capital de giro para se sustentarem diante desse colapso, podendo gerar até demissões, por isso é importante que o município tenha uma folha pagável, aí então você menciona “contratos desnecessários”, se há provas, exponha-as e exija uma justificativa da administração, ficar repetindo discurso alheio é coisa de papagaio, e isso eu acredito que você não seja. Existe a Lei de Acesso às Informações (Lei 12.527/2011), exerça sua cidadania, você tem direito constitucional de obter informações públicas de qualquer órgão e entidade pública, você pode solicitar qualquer documento sem necessidade de apresentar motivo, dirija-se ao RH da prefeitura e obtenha todas as informações que você julgar necessárias, se você encontrar irregularidades contratuais, junte-as e apresente-as, lembre-se que para acertar o alvo você precisa de flechas, pense nisso! Falar sem fundamentos só vai inflamar os desinformados que, infelizmente, compõe a maioria e é justamente assim que o pseudo-sindicato SINDUPROM tem angariado “seguidores”.

Escreva um comentário