PM morre em troca de tiros durante fuga na penitenciária de segurança máxima em Pernambuco

Entre fugitivos, segundo Sindicato dos Agentes Penitenciários, está mandante do assassinato do promotor de Itaíba. Ainda não se sabe total de presos que fugiram.

Um grupo de detentos fugiu, na noite de quarta-feira (13), da Penitenciária Professor Barreto Campelo, na Ilha de Itamaracá, no Grande Recife. Durante a fuga da unidade, que é de segurança máxima, os presos trocaram tiros com um policial militar, que foi atingido na cabeça e morreu, segundo a Polícia Civil. Ainda não se sabe a quantidade de fugitivos.

O Sindicato dos Agentes Penitenciários de Pernambuco (Sindasp) aponta que, entre os fugitivos, está José Maria Rosendo, condenado em 2016 como mandante do assassinato do promotor de Itaíba Thiago Farias. O crime aconteceu em 2013 e a motivação, segundo a PF, envolveu uma disputa pelas terras de uma fazenda.

O delegado João Brito, do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que esteve na Barreto Campelo, afirmou que o sargento da PM Rinaldo Azevedo Campelo, de 49 anos, fazia a guarda externa da prisão quando percebeu o plano de fuga, reagiu e foi baleado. Ele chegou a ser socorrido por um agente penitenciário, mas morreu ao dar entrada no hospital local.

Ainda de acordo com o delegado, não houve explosão de muros durante a fuga. Os presos conseguiram escapar pelas laterais da penitenciária. Segundo a polícia, houve um tiroteio por volta das 20h30. Um tronco de árvore colocado na estrada de acesso para dificultar a chegada de reforço policial.

O Batalhão de Choque foi deslocado para a unidade. Uma contagem dos presos deve ser feita desta quinta-feira (14) para constatar o total de fugitivos.

Itaquitinga

Na terça-feira (12), dois presos fugiram do Presídio de Itaquitinga, na Zona da Mata de Pernambuco. A unidade foi inaugurada em 2018, mas ainda tem obras.

Os trabalhos em Itaquitinga se arrastam há quase uma década. A ideia inicial era fazer um projeto com Parceria Público Privada (PPP), que não deu certo. Em 2012, as obras foram paralisadas. A construção foi reiniciada em 2017.

Em dezembro de 2018, o governo estadual repassou para a União a posse do 3º módulo do Centro de Ressocialização de Itaquitinga, com capacidade prevista de 300 vagas. A ideia é receber presos sentenciados ou provisórios que se enquadrem no Regime Disciplinar Diferenciado. A obra nesse presídio de segurança máxima federal será monitorada por uma agência da Organização das Nações Unidas (ONU).

Via G1 Pernambuco

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *