Ciência e vida

Macacos reproduzem pela 2ª vez em cativeiro no Sertão de Pernambuco

Veterinários comemoram o nascimento do segundo filhote de macacos criados em cativeiro em Petrolina, no Sertão de Pernambuco. Os animais estão sendo cuidados no Centro de Conservação e Manejo de Fauna e Caatinga (Cemafauna), e foram recebidos com alegria. O novo integrante da família, da espécie Alouatta caraya, ainda não entrou em extinção, mas os biólogos já fazem alertas.
 
A fêmea chegou primeiro em 2012, com sinais de que era criada em cativeiro não autorizado. Já em 2013 o futuro companheiro de recinto, também veio bastante machucado porque havia entrado em uma propriedade particular e foi atacado por cachorros.
 
Os dois ficaram isolados por um tempo para fazer acompanhamento clínico e nutricional. Já bem recuperados, em 2014 foram colocados em um mesmo local e alguns meses depois nasceu o primeiro filhote que atualmente tem 10 meses de vida. No início de março de 2015 mais uma surpresa para os biólogos e médicos veterinários do Centro: nasceu o segundo filhote. 
 
Segundo a médica veterinária Adriana Quirino, essa situação não costuma acontecer com frequência em animais que estão em cativeiro. “O macho já aparenta ter uma idade avançada porque tem um desgaste muito grande nos dentes e a gente não pensava que eles conseguiriam procriar. Foi uma surpresa quando o primeiro filhote nasceu e agora com o segundo vemos uma família bem formada, um macho com comportamento mais voltado para a proteção do bebê”, celebra a veterinária.
 
O próximo passo a seguir, de acordo com a veterinária, é alocá-los para o recinto de primatas do Cemafauna. Depois, vem o processo de reabilitação que possibilitará a introdução dos animais à natureza. “Nosso desejo é que eles possam viver na natureza como deveria ser desde o início. Estamos cuidando para que os hábitos desses animais sejam readquiridos para que evitem o contato com humanos e retomem o papel deles na vida selvagem”, afirma Adriana.

Artigos relacionados

Escreva um comentário