Política

Kaio Maniçoba publica nota de esclarecimento sobre PL 5173/2016

Após o protesto de estudantes da Uast em Serra Talhada o deputado federal Kaio Maniçoba publicou uma nota de esclarecimento sobre o assunto. Leia a nota na íntegra abaixo:

Quando pensamos políticas públicas a intenção é sempre o engrandecimento do povo, a superação de desafios, o avanço de conquistas. Essa é a dinâmica que me move, a vontade de fazer algo, de ajudar a transformar a realidade na qual nasci e na qual vivo, com olhar diferenciado para o sertão.

A interiorização da oferta do ensino superior ocorrida na última década descortinou um novo horizonte no campo da pesquisa científica, ensino e extensão através da Unidade Acadêmica de Serra Talhada (UAST), vinculada à Universidade Federal Rural de Pernambuco. Sou testemunha ocular de como esse campus é estratégico e tem cumprido sua missão de propiciar aumento na qualificação e consequentemente aumento nas possibilidades de vida ainda mais digna ao sertanejo.

Nestes dez anos de existência a UAST se consolidou como um pólo irradiador de conhecimento e aprendizado por toda região do Pajeú. Por isso, entendo que é necessária a luta pelo fortalecimento e aprofundamento desta conquista.

Ainda no meu primeiro ano de mandato fui procurado por segmentos sociais da região de Serra Talhada, a exemplo de comerciantes do CDL, de membros da OAB, de estudantes e professores das cidades alcançadas pela UAST. A ideia era uma só, avançar no crescimento, pleiteando a transformação da atual Unidade Acadêmica em Universidade autônoma, com reitoria, orçamento, regimento e estrutura próprias.

Disposto a ajudar em qualquer assunto que paute o crescimento de nossa região, me coloquei como soldado para essa batalha, colocando meu mandato a disposição da luta pela implantação da Universidade Federal do Sertão.

A apresentação do PL 5173/2016 é apenas o primeiro passo, pois ele visa autorizar o Poder Executivo a realizar todos os estudos de viabilidade social, econômica, cultural e financeira para esta possível conquista. O trâmite na Câmara dos Deputados é lento e requer numa fase posterior a análise e aprovação do Senado Federal antes de seguir para sanção presidencial. Se os estudos indicarem a inviabilidade da proposta ela não segue adiante. Estamos, portanto, prospectando possibilidades.

Ciente de que, como diz o poeta matuto, “toda caminhada começa no primeiro passo” tomei a liberdade de realizar a proposição ao apresentar Projeto de Lei sobre o tema. Devo reconhecer que o afã de fazer algo, de querer ajudar, levou-me a uma antecipação no tocante ao diálogo com a atual Reitoria responsável pelo campus. Reconheço o lapso mas penso que dado a já citada morosidade do trâmite da matéria no Legislativo, teremos tempo suficiente para o debate. Debate ao qual não me furtarei. Em breve estarei realizando um evento para estreitar a relação com todos os envolvidos e ouvir as sugestões, críticas e tudo aquilo que potencialize a atuação do campus e viabilize o surgimento de uma grande universidade no coração do sertão.

Tenho certeza que com a força de uma Universidade Federal independente os pleitos em favor de demandas como o Restaurante Universitário, Laboratórios, Bibliotecas equipadas e tantas outros temas ganharão muito mais força.

Da mesma forma como um dia nossos irmãos do São Francisco sonharam e lutaram pela sua universidade e viram o sonho se concretizar através da Univasf, penso que nós do Pajeú temos a total possibilidade de ter a nossa própria instituição, pensada diretamente para nossa gente, com a nossa cara, com a nossa força. Quando levanto essa bandeira, penso nos diversos campi que podem surgir a partir da Universidade Federal do Sertão, penso em jovens estudantes de cidades como Floresta, como Calumbi, Triunfo, Tabira, Petrolândia e tantas outras que podem abrigar extensões e permitir com que os alunos não precisem se deslocar de suas casas.

É importante destacar que a autonomia em nada prejudicará a UAST, pelo contrário, ampliará seu porte e sua capacidade de atendimento. Ela será uma universidade pertencente à rede federal e terá recursos assegurados em rubrica própria, ofertando mais qualidade, mais editais, mais projetos.

Que os ventos do saber e dos avanços científicos encontrem terra fértil para que Serra Talhada se afirme como um grande centro, sede de uma universidade grande, forte e acessível a toda a região. Eu acredito nisso. Eu vou lutar por isso.
#ofuturoéagora #educação #ensinosuperior

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *