Notícias

Índios fazem manifestação na GRE em Floresta, no Sertão

Índios de diversos povos protestaram na manhã desta quarta-feira (29) em frente à Gerência Regional de Educação (GRE), em Floresta, no Sertão de Itaparica. O atraso no pagamento do salário de motoristas de transporte escolar e a necessidade de contratação de mais professores são algumas das principais reivindicações.
 
manifestacao indios na gerencia regional de educacao em floresta pernambuco (6)
De acordo com a líder do povo Pankará e coordenadora da educação escolar indígena, Noêmia Lopes, o pagamento do transporte de alunos já está com quase três meses de atraso. “Nós estamos aqui hoje com professores, alunos, pais, motoristas e merendeiras buscando uma solução junto aos órgãos competentes”, disse a líder.
manifestacao indios na gerencia regional de educacao em floresta pernambuco (9)
 
Ainda de acordo com Noêmia, também há necessidade da contratação de serviços terceirizados de merendeiras, assistente de serviços gerais e porteiros. A ajuda de custo para estudantes de licenciatura também está com sete meses de atraso.
manifestacao indios na gerencia regional de educacao em floresta pernambuco (11)
 
O técnico responsável pela educação indígena, Francisco de Assis, foi quem recebeu  as lideranças indígenas e anotou as reivindicações. A pauta será repassada para a gerente da GRE, Dilma Marques, que está no Recife participando de uma capacitação.
manifestacao indios na gerencia regional de educacao em floresta pernambuco (12)
 
O pajé Pedro Luiz, mais conhecido como “Pedro Limeira” pertence à tribo Pankará. Mesmo aos 85 anos de idade ele fez questão de participar da manifestação. Representantes das tribos Pipipã e Pankararu Entre Serra também estiveram presentes do manifesto.
 
manifestacao indios na gerencia regional de educacao em floresta pernambuco (10)
Já o motorista Clenaldo Leite Nunes, 40 anos, comentou a cobrança de um imposto municipal que desconta 5% do valor total do salário dele. “A estrada em que a gente anda é de terra e muito esburacada. É um absurdo o valor desse imposto, visto que não temos retorno desse dinheiro em melhoria nas condições das estradas”, disse Clenaldo.

Artigos relacionados

Escreva um comentário