Tecnologia

Igreja Assembleia de Deus lança operadora de celular

Um celular liga, manda mensagens e acessa à internet. Para fiéis da Assembleia de Deus em Nazaré do Pico, no Sertão de Pernambuco, ele também servirá para pedir orações, encontrar o endereço da igreja mais próxima e ter um momento com a Bíblia. A maior denominação pentecostal do Brasil;com 12,3 milhões de devotos, segundo o censo do IBGE de 2010; lançou a operadora virtual de telefonia celular Mais AD, que funcionará pela rede da Vivo.

A meta da nova empresa é conectar 1 milhão de fiéis na rede em 12 meses de operação. Entre suas concorrentes está a Porto Seguro, operadora virtual lançada em 2013 com melhor desempenho no país, com 321 mil clientes em sua base. A primeira meta é ter penetração na comunidade. Se conseguirmos atingir a base de 1 milhão de clientes, pode ter certeza que o projeto tem viabilidade econômica, afirma Raul Aguirre, diretor-geral da Mais AD.

O sistema de operadora virtual foi regulamentado no Brasil pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) em 2010. Segundo a agência, existem dois modelos para o sistema. As operadoras autorizadas, como a Porto Seguro, compram minutos e dados de uma operadora e revendem aos clientes. Já a Mais AD usa o sistema de operadora comissionada, recebendo uma participação da receita com os gastos no telefone.

Para garantir o crescimento, o site da operadora já está recrutando colaboradores voluntários para vender os chips da Mais AD e divulgar seus conteúdos evangelizadores no modelo porta a porta. O chip custará R$ 9,90, sem crédito. Não conseguimos ser tão competitivos como as grandes operadoras, diz Aguirre sobre a necessidade de colocar créditos para fazer a primeira ligação.

O executivo afirma que já são mais de 400 colaboradores da comunidade da Assembleia já cadastrados para vender linhas telefônicas. Eles comprarão o chip por um valor menor e receberão a diferença do valor vendido ao dono da nova linha. Além disso, a empresa terá 45 pontos de venda físicos.

OS PLANOS

Inicialmente o serviço será exclusivamente pré-pago, e os clientes da nova operadora terão acesso aos mesmos pacotes da Vivo. Por R$ 6,90 por semana, o dono da linha terá 75 Megabytes de acesso à internet, 100 minutos de ligações para Mais AD e Vivo de qualquer lugar do Brasil e SMS ilimitado para Mais AD e Vivo. Acesso diário à internet custará R$ 0,99 e pacotes de SMS também serão vendidos separadamente. Planos pós-pagos devem entrar no portfólio em cerca de seis meses.

Aguirre, que não é um fiel da Assembleia, afirma que o principal desafio da nova operadora é se inserir dentro dos protocolos da igreja. Os chips serão vendidos por membros da igreja, o call center terá apenas operadores fiéis e os conteúdos exclusivos, como jogos e conteúdos de aprendizagem sobre a religião também serão produzidos dentro da congregação e terão a aprovação dos pastores.

Na avaliação de Eduardo Tude, diretor da consultoria Teleco, o interesse da igreja na operadora não é exclusivamente econômico. Para eles não é só o dinheiro. O principal é contato direto com a comunidade, poder mandar mandar mensagens em massa, estabelecer uma comunicação com essa base, diz.

A Mais AD saiu do papel com a empresa MOVTTEL, que tem em seu quadro Ricardo Knoepfelmacher, ex-presidente da Brasil Telecom, operadora incorporada à Oi. Entre investidores, estão membros da igreja. O valor aplicado no negócio não foi informado. (Folha)

Artigos relacionados

Escreva um comentário