Notícias

Ibimirim-PE: Confirmados 24 casos de infectados em surto de Chagas

Outras quatro pessoas que também apresentam os sintomas estão em tratamento, mas não tiveram diagnóstico confirmado.

Subiu de 22 para 24 o número de pessoas infectadas em Pernambuco no surto de tripanossomíase – mais conhecida como doença de Chagas – na forma aguda. Elas foram contaminadas quando participavam de um evento religioso na cidade de Ibimirim, no Sertão de Pernambuco, e tiveram a confirmação laboratorial da doença. Outras quatro pessoas que também apresentam os sintomas estão em tratamento, mas não tiveram diagnóstico confirmado.

Dos 77 participantes do evento realizado em abril, 70 já tinham feito coleta de sangue para análise, que tem sido realizada pelo Laboratório Central de Pernambuco (Lacen), no Recife, e pelo Laboratório da VI Gerência Regional de Saúde (Geres), em Arcoverde.

Das 28 pessoas que estão em tratamento, 15 foram internadas no Hospital Oswaldo Cruz. Desse grupo, 8 tiveram alta e os outros 7 continuam internados, estáveis, recebendo a assistência da equipe multiprofissional do serviço. Uma esquipe da Secretaria Estadual de Saúda visitou o local do surto as casas do entorno, mas nenhum barbeiro ou vestígio do inseto foram detectados. Também estão sendo visitados os locais que forneceram alimentação para o evento.

Investigações seguem para tentar identificar forma de contágio

Até o momento, não há evidências para definição da forma de transmissão da doença, mas uma das principais suspeitas, pelas características do surto, é de que o contágio tenha ocorrida pela via oral. Autoridades sanitárias fizeram visitas ao local do evento religioso às casas do entorno (localizadas em um raio de 150 metros), mas não foram barbeiros nem vestígios do inseto. Como parte da investigação, também estão sendo visitados os locais que forneceram alimentação para o evento.

Caso não seja adequadamente tratada, a doença de Chagas pode se tornar crônica. De cada 10 pacientes infectados, três desenvolvem problemas cardíacos, digestivos ou neurológicos. Os efeitos da doença na forma crônica, porém, costumam ocorrer de 20 a 40 anos depois da contaminação, que muitas vezes nem é percebida pelo paciente.

Doença de Chagas

A doença de Chagas é causada pelo protozoário Trypanossoma cruzi, cujo vetor é o mosquito barbeiro. A forma mais clássica de transmissão ocorre pela contaminação do local da picada do inseto pelas fezes dele. Outra forma, que costuma provocar surtos bem delimitados e com sintomas agudos como o ocorrido em Ibimirim, é por meio de alimentos contaminados por fragmentos do vetor ou por suas fezes. Também é possível ocorrer transmissão pela transfusão sanguínea e de mãe para filho durante a gestação.

Além de febre com duração de uma semana, também podem surgir outros sintomas logo após a infecção:

  • Edema de face ou de membros;
  • Exantema (manchas vermelhas na pele);
  • Adenomegalia ( inchaço de gânglios);
  • Hepatomegalia (inflamação do fígado);
  • Esplenomegalia (inflamação no baço);
  • Cardiopatia aguda;
  • Manifestações hemorrágicas, icterícia, náusea, astenia (perda ou diminuição de força física);
  • Mialgia (dor nas articulações), sinal de Romanã (edema inflamatório nas pálpebras) ou chagoma de inoculação (edema inflamatório na pele).

Via OP9

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *