Notícias

Dono e funcionário de clínica são presos por suspeita de estupro de garota, maus-tratos e exercício irregular da medicina, em Pernambuco

De acordo com Polícia Civil de Pernambuco, prisões ocorreram em Goiana, na Zona da Mata de Pernambuco. Outro homem é investigado e está foragido.

O dono de uma clínica de tratamento de pessoas viciadas em drogas e álcool e um funcionário foram presos pela Polícia Civil, em Goiana, Zona da Mata Norte de Pernambuco. Segundo a corporação, eles são suspeitos de estupro de uma garota de 15 anos, maus-tratos, exercício irregular da medicina, além de estelionato e associação criminosa. Somadas, as penas podem chegar a 21 anos de prisão.

Ainda de acordo com a polícia, um terceiro investigado, que trabalhava como gerente da clínica, também é alvo de mandado de prisão e está foragido. Segundo a corporação, o estabelecimento funcionava de forma irregular.

As prisões ocorreram na quinta-feira (25), em cumprimento a mandados de prisão expedidos pela Justiça. No mesmo dia, a Polícia Civil cumpriu três mandados de busca e apreensão nas casas dos investigados e no imóvel onde funcionou o escritório da clínica irregular.

De acordo com a delegada titular da 8ª Delegacia de Atendimento à mulher, Maria de Lourdes Ferreira de Andrade, as investigações começaram em maio, a partir da denúncia da mãe da adolescente que foi estuprada.

“Recebemos a denúncia no dia 6 de maio, quando a mãe da vítima nos procurou, dizendo que internou na clínica a filha de 15 anos, que tem problemas mentais. A jovem foi levada para tratamento, porque é usuária de drogas. Ela chegou lá em março. No dia 29 de abril, a adolescente disse para a mãe que estava mantendo relações sexuais com o empregado da clínica”, afirmou a policial.

As investigações revelaram que a adolescente estava tendo relações sexuais com o funcionário. De acordo com Maria de Lourdes Ferreira de Andrade, o homem começou como um fiscal de limpeza na clínica, mas depois passou a atuar como um conselheiro de alguns pacientes.

Nessa função, segundo a delegada, ele conheceu e se aproximou da vítima. A policial informou também que o homem confessou o estupro de vulnerável. O crime se caracteriza pelo fato de a garota ser menor de idade e de ter problemas mentais e ser usuária de drogas.

As investigações também apontaram, conforme informações da Polícia Civil, outros crimes. Um deles é o de exercício ilegal da medicina.

“Descobrimos que esta clínica funcionava de forma clandestina, que não havia profissionais da saúde habilitados para assistir os internos. [A clínica]não apresentou, até agora, nenhum documento nem nenhum profissional da saúde capacitado para atender esses pacientes”, disse a delegada.

A investigação ouviu internos da clínica, que relataram outros problemas, como maus-tratos, especialmente contra idosos.

“Os internos que foram ouvidos informaram que não recebiam nenhum atendimento qualificado. Além de estarem ocorrendo, no interior dessas clínica, maus-tratos. Havia idosos que não tinham tratamento humanizado, alguns dormiam até no chão, não tinha nem camas para dormir, além de haver superlotação”, declarou Maria de Lourdes.

Outras investigações

Ainda de acordo com a delegada titular da 8ª Delegacia de Atendimento à Mulher, a clínica investigada já teve problemas em outras cidades.

“Recebemos a informação de que essa clínica começou a funcionar, em 2017, em Goiana. Depois, foi para Itamaracá, no Grande Recife, passou a funcionar lá. Houve uma ação do Ministério Público e da Polícia Militar. Passou para Pitimbu (Paraíba). Nesse local, houve denúncia de abuso sexual. A polícia da Paraíba instaurou inquérito para apurar isso. Foi quando eles voltaram para Goiana”, disse.

Via G1 Pernambuco

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *