Para refletir

Cuscuz, chique-chique e caroá

Eu sou da terra
Em que faz cuscuz de macambira
Doce de chique-chique
E toma água de caroá

Eu sou da terra
Que não tem medo da seca
E sabe a dureza da vida enfrentar
Uma seca brava de matar
Os animais magros cambaleantes
O homem queima mandacaru e chique chique
Para o seu gado alimentar
É assim o meu sertão
Que ainda vê as coisas belas
À tardinha uma cauã a cantar
Uma donzela numa janela
Cantando uma bela canção
São as coisas do meu sertão
De homens e mulheres fortes
Que ainda encontra um tempo pra amar
Beber, dançar, até o sol raiar
Dando bom dia para a natureza
E o pássaro alegre a cantar

Eu sou da terra
Que vê o mundo diferente
As estrelas no céu a brilhar parecendo uma pérola cintilante
Incandescendo o nosso olhar

Eu sou da terra
Que o sol é mais forte
Queima folhas e esturrica chão
Deixa tudo ressecado e solo rachado
O sertanejo é forte
Não desiste de trabalhar e viver em seu lugar

Eu sou da terra
Nazaré do Pico é meu lugar

Nazaré do Pico, 2 de julho de 2015
Por Rubelvan Lira

Artigos relacionados

Escreva um comentário