Notícias

CPRH apreende 145 galos de briga e multa dono de rinha em R$ 435 mil por crime ambiental

Uma ação de fiscalização da Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH), em parceria com policiais militares do Batalhão Especializado de Policiamento do Interior (BEPI, antiga Ciosac) e policiais civis resultou no fechamento de uma rinha de galo que funcionava no sítio Cacimba, em Toritama, Agreste do Estado, com apreensão de 145 galos de briga e aplicação de multa de R$ 435 mil ao proprietário da área, por crime ambiental. O flagra ocorreu no sábado (22) à noite e envolveu 20 policiais e 4 fiscais da CPRH, além de agentes da Delegacia de Santa Cruz do Capibaribe.  No momento  da operação, 170 pessoas encontravam-se no local.

A apreensão foi feita pela Delegacia de Santa Cruz do Capibaribe, para onde cinco pessoas foram levadas, ainda na noite do sábado, entre elas o proprietário da rinha. Para ele, a autuação da CPRH fixou a multa máxima da lei de crimes ambientais (Nº 9.605/98), no caso de maus tratos a animais. A multa vai de R$ 500 a R$ 3 mil por animal e, como houve o agravante do flagra ocorrer à noite e no fim de semana (em tese, quando há menos chance de fiscalização), o valor estipulado foi o maior. Dos detidos na operação, apenas um ficou preso, por ter sido constatado que se tratava de um foragido.

No sítio Cacimba, os policiais e fiscais ambientais constataram a existência de uma estrutura especialmente criada para a prática da rinha de galo, o que configura crime no Brasil. Os galos ficavam em casinhas individuais (onde permanecerão, até a nova destinação ? possivelmente para doação) e três arenas foram montadas, locais onde os animais eram colocados para os confrontos, que fatalmente só terminavam quando um deles morria.  Ao redor das arenas (a maior delas com o nome Macaxeira pintado), as área para pessoas assistirem as brigas, provavelmente fazendo apostas. No momento da ação, um galo sangrava bastante.

AVES SILVESTRES – O flagra na rinha de galo em Toritama, em meio ao feriadão que servidores públicos gozaram no fim de semana (o Governo do Estado antecipou o feriado do dia 28 para a segunda, 24) partiu de uma denúncia recebida por policiais militares no Agreste. Como, por coincidência, havia fiscais da Unidade de Gestão da Fauna (UGF), da CPRH, realizando outras ações de fiscalização na região (Serra do Urubu), eles foram acionados, por se tratar de crime ambiental.

Antes de se deslocar para Toritama, os fiscais ambientais apreenderam 43 aves silvestres nas unidades de conservação Pedra D?Antas e Frei Caneca, nos municípios de Lagoa dos Gatos e Jaqueira, respectivamente. Atendendo outra denúncia, a equipe também esteve na feira de pássaros do bairro São José, em  Garanhuns, onde 131 aves e duas iguanas foram apreendidas. Nesta ação, também participaram policiais da 1º Companhia Independente de Policiamento do Meio Ambiente (Cipoma).

 

 

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *