Assaltos a banco aumentam 140% em Pernambuco

O número de assaltos a bancos em Pernambuco aumentou 140% com relação ao ano passado, segundo dados da Secretaria de Defesa Social (SDS). De 12 casos registrados entre os meses de janeiro e outubro de 2014, o número pulou para 29 ocorrências no mesmo período deste ano. O número de tentativas registradas quadruplicou: de três anotadas no passado para 12 este ano.

Os métodos os assaltantes são variados. Vão das invasões armadas até as explosões. Ontem, no Departamento de Repressão aos Crimes Patrimoniais (Depatri), da Polícia Civil, foi anunciada a prisão de uma quadrilha formada por cinco homens de fora do Estado: três de Joinville (SC), um de Campinas (SP) e outro da própria capital paulista. Eles são suspeitos de roubarem agências bancárias nos municípios de Sirinhaém e Rio Formoso, no Litoral Sul, Escada, na Zona da Mata Sul, e Cabo de Santo Agostinho, no Grande Recife. Eles usavam maçarico para abrir os cofres dos bancos. Rubens Martins Junior, Douglas Oliveira, Jeremias Camila, Alessandro Neves e Jucemar Micheluzzi foram presos na praia de Enseada dos Corais, no Cabo, na última sexta-feira, e estão no Centro de Triagem e Observação Professor Everaldo Luna (Cotel), em Abreu e Lima.

“O perfil dos assaltantes de banco vem mudando com o tempo. Era pessoas com um extensa ficha em outros crimes. Agora são pessoas que estão entrando na criminalidade por esse meio”, explica o delegado Mauro Cabral, do Depatri, que efetuou a prisão da quadrilha. “É um tipo de delito complicado de se combater, exige um trabalho grande de inteligência. E é isso que estamos tentando, com alguns resultados como a prisão desse grupo”.

O diretor jurídico do Sindicato dos Bancários de Pernambuco, João Rufino, alega que são 43, e não 29, o número de ocorrências de assaltos a bancos no Estado, até o dia 9 deste mês. “No Recife, por exemplo, muitos desses casos poderiam ser evitados se a prefeitura fiscalizasse o cumprimento da lei de 2010 que prevê a adoção de medidas de segurança para todas as agências”, diz.

A lei 17.647 obriga os bancos da cidade a contar com portas e vidros blindados, guarda-volumes e um mínimo de dois seguranças para cada pavimento. “Até 2012 havia fiscalização e algumas agências chegaram a ser interditadas. Hoje, estranhamente, isso não acontece mais”, reclama.

Através de nota, a Secretaria-Executiva de Controle Urbano do Recife (Secon) informou que tem realizado reuniões para discutir ajustes na Lei 17.647. Em outubro, uma nova reunião sobre o tema aconteceu e contou com a presença do secretário de mobilidade e Controle Urbano, João Braga, e a Federação Brasileira dos Bancos (Febraban). “O Sindicato dos Bancários, apesar de convocado, não compareceu. O objetivo dos encontros também é tratar a possibilidade de tornar a fiscalização mais eficiente, proporcionando maior segurança para os estabelecimentos”, diz o texto da nota.

 

(Portal Nayn Neto)

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *