Notícias

Alepe aprova estado de calamidade pública em Pernambuco

Projetos encaminhados por Paulo Câmara para o enfrentamento à Covid-19 no Estado foram votados em sessão virtual

A Assembleia Legislativa aprovou, nesta terça-feira (24), os projetos encaminhados pelo governador Paulo Câmara (PSB) em relação ao combate ao novo coronavírus em Pernambuco. Todo o trâmite foi feito via e-mail, tanto na apreciação pelas comissões, quanto nas sessões ordinária e extraordinária.

Entre as medidas decididas pela Alepe, está o reconhecimento formal do estado de calamidade pública para Pernambuco e para o município do Recife, abrindo uma condição fiscal excepcional para que a gestão atue concentrando recursos no combate à Covid-19.

Foi aprovada ainda a criação do Sistema de Deliberação Remota (SDR), permitindo que os deputados possam analisar as próximas proposições numa plataforma virtual, transmitindo toda a interação por meio da TV Alepe e do YouTube.

O líder da oposição, deputado Marco Aurélio Meu Amigo (PRTB), manifestou abstenção em todas as votações em primeiro turno. O PL 1006/20, que disciplina a contratação de bens e serviços para combate à Covid-19, foi aprovado com 45 votos favoráveis e uma abstenção. O PL 1007/20, que cria o Fundo Estadual de Enfrentamento ao Coronavírus (FEEC), também recebeu o mesmo quantitativo de votos, 45 favoráveis e uma abstenção.

A resolução 1008/20, que cria o Sistema de Deliberação Remota (SDR), recebeu 46 votos favoráveis e uma abstenção. A sessão extraordinária, no início da noite, aprovou os três projetos com votações semelhantes – além do deputado Marco Aurélio, a deputada Clarissa Tércio (PSC) apresentou abstenção na segunda votação do PL 1006/20.

A votação dos decretos legislativos 02/2020 e 03/2020, que reconhecem o estado de calamidade pública, respectivamente, de Pernambuco e do Recife, teve o mesmo quantitativo de votos: 45 favoráveis e uma abstenção. Ambos já passam a vigorar desde a aprovação na sessão ordinária, já que não carecem de uma segunda votação. As próximas votações passam a ocorrer no novo sistema e acontecerá conforme determinação da Mesa Diretora, em função da demanda de projetos forem apresentados à Casa de Joaquim Nabuco.

Via Folha PE

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *