Agência Nacional de Águas autorizou a redução da vazão mínima dos reservatórios de Sobradinho e Xingó, no Rio São Francisco

A Agência Nacional de Águas (ANA) autorizou a redução da vazão mínima dos reservatórios de Sobradinho e Xingó, no Rio São Francisco, para uma média diária de 550 metros cúbicos por segundo até 30 de novembro de 2017, quando se espera que comece mais um período chuvoso naquela região. Será a menor vazão da história desses reservatórios. A decisão está numa resolução publicada no Diário Oficial da União (DOU) ontem (18.07).
A medida impacta os produtores de frutas do polo de fruticultura irrigada de Petrolina-Juazeiro. Também impacta pelo menos 39 municípios pernambucanos que têm os seus sistemas de abastecimento a partir do Rio São Francisco.
Agora, a Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf) terá que esperar a autorização do Ibama para reduzir a vazão que atualmente é de 600 metros cúbicos por segundo. A vazão ambientalmente correta é de 1.300 metros cúbicos por segundo. Desde 2012, a mesma vem sendo reduzida pela ANA por causa da estiagem.
A agência também suspendeu a captação de água no São Francisco às quartas-feiras, exceto para o consumo humano e animal, o que também afetou os produtores do Vale do São Francisco.
A finalidade das duas medidas é poupar a água do reservatório de Sobradinho, que está com 10,87% do seu volume útil, aquele acima do volume morto, segundo o ONS. Nesse último, não é possível gerar energia. Atualmente, as usinas hidrelétricas da Chesf no São Francisco geram, em média, 1,2 mil megawatts (MW) médios, embora tenha uma capacidade instalada de 10 mil MW. Antes da atual crise hídrica, a estatal produzia, em média, cerca de 6 mil MW médios.
Via Petrolândia Notícias

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *